sábado

IRON BUTTERFLY


Iron Butterfly é uma banda estadunidense de hard rock e rock psicodélico, conhecida pelo seu sucesso em 1968, com a música "In-A-Gadda-Da-Vida". ( trilha da série Supernatural)
O Iron Butterfly surgiu no cenário musical do final da década de 1960, chamado Hard Rock ou Acid Rock e ficou caracterizada pelos solos de guitarra, baixo marcante, bateria pesada e teclados que mesclava rock com música sacra. Em meados de 66, a banda saiu de San Diego e foi para Los Angeles, para fazer shows pequenos clubes. Em 68 assinam contrato com a ATCO e participa de uma turnê com The Doors, Jefferson Airplane, The Grateful, Traffic, The Who e Cream. Lançam o primeiro LP, "Heavy". Logo após Jerry Penrod, Darry DeLoach e Danny Weis deixaram o grupo e foram substituídos pelo guitarrista Erick Brann, de apenas 17 anos e pelo baixista Lee Dorman, ficando apenas o tecladista, vocalista e líder da banda Doug Ingle e o baterista Ron Bushy da formação original. Ainda em 1968, o Iron Butterfly grava o "In-A-Gadda-Da-Vida", a música homônima tem duração de 17:05 minutos e se tornou o hino dos jovens americanos da época. O terceiro LP gravado pelo grupo, "Ball", recebeu o Disco de Ouro. No mesmo ano é lançado "Iron Butterfly Live", último álbum com Erick Brann - em seu lugar entraram Mike Pinera e Larry "Rhino" Reinhardt. Em 1970 é gravado "Metamorphosis", já com a nova formação. Em 1971, ano que marca a separação do grupo, é lançado "Best of Iron Butterfly - Evolution". Em meados dos anos 1970, Erick Brann e Ron Bushy, se encontram novamente e gravam os discos "Sun and Steel" e "Schorching Beuty". Em 1997, a banda volta em turnês na Europa e Estados Unidos.








Discografia
Álbuns
Heavy (1968)
In-A-Gadda-Da-Vida (1968)
Soundtrack to the Savage 7 (1968)
Ball (1969)
Live (1969)
Metamorphosis (1970)
Evolution: The Best of Iron Butterfly (1971)
Star Collection (1973)
Scorching Beauty (1975)
Sun and Steel (1976)
Rare Flight (1988)
Light & Heavy: The Best of Iron Butterfly (1993)
In-A-Gadda-Da-Vida Deluxe Edition (1995)
Fillmore East 1968












domingo

Jethro Tull


Jethro Tull é uma banda de rock formada em Blackpool em 1967. Sua música é caracterizada pelas letras, o estilo vocal cheio de maneirismos e o trabalho único na flauta de seu líder Ian Anderson, além de uma complexa e pouco usual construção musical.
Inicialmente calcado no estilo blues rock, o Jethro Tull eventualmente incorporou a seu som elementos de música clássica, folk, jazz e art rock.
A banda vendeu mais de 60 milhões de discos ao redor do mundo.
 História
Os primórdios da banda
O grupo passou pelo seu "calvário" em clubes britânicos nos anos 1960, com uma formação instável que eventualmente se cristalizaria em Ian Anderson (vocais, flauta, violão e mais tarde diversos outros instrumentos), Mick Abrahams (guitarra), Glenn Cornick (baixo) e Clive Bunker (bateria). A princípio a banda passou por inúmeras mudanças de nome para conseguir mais shows. Jethro Tull foi o que acabou ficando depois que conseguiram um contrato com uma gravadora (o nome vem do agricultor Jethro Tull que inventou a semeadeira). Os empresários então sugeriram que Abrahams assumisse os vocais e a guitarra e que a flauta fosse eliminada, relegando Anderson ao piano rítmico. Depois de uma sucessão de compactos mal sucedidos, eles lançam This Was em 1968, altamente influenciado pelo blues e composto por Anderson e Abrahams.
Depois desse álbum, Abrahams deixou o grupo, (formando sua própria banda, Blodwyn Pig), devido principalmente à "diferenças musicais" (Abrahams preferia continuar tocando blues, que Anderson tachava de estilisticamente limitado e de vocabulário restrito aos ingleses de "classe média"). Depois de uma série de audições (ao contrário de rumores, tais audições não contaram com Tony Iommi do Black Sabbath, que na verdade só concordou em aparecer no Rock'n'Roll Circus dos Rolling Stones para tocar "A Song For Jeffrey"), o ex-integrante das bandas Motivation, Penny Peeps e Gethsemane Martin Barre foi contratado como o novo guitarrista. Barre se tornaria o segundo integrante mais antigo da banda depois de Anderson.
Rock progressivo
Esta nova formação lançou Stand Up em 1969. Composto inteiramente por Anderson (com exceção de "Bouree", de Johann Sebastian Bach, aqui adaptada para um formato jazzístico), demonstrava o abandono do blues em favor do nascente estilo progressivo, então em desenvolvimento por grupos como King Crimson, The Nice e Yes. Em 1970 eles adicionaram o tecladista John Evan, embora tecnicamente ele fosse apenas um músico convidado, e lançaram o álbum Benefit.
O baixista Cornick abandonou a banda logo após Benefit, sendo substituído por Jeffrey Hammond-Hammond, e esta formação lançou em 1971 o trabalho mais conhecido da carreira do Tull: Aqualung. O álbum é uma combinação de rock pesado focado em temas como párias sociais e cultos religiosos mesclados a experimentos acústicos sobre a vida mundana do cotidiano. Aqualung é adorado e odiado em iguais proporções, embora a faixa título e "Locomotive Breath" sejam constantes em rádios de rock clássico.
Quem saiu em seguida foi o baterista Bunker, substituído por Barriemore Barlow, e o álbum de 1972 da banda foi Thick as a Brick. Trata-se de um álbum conceitual consistindo de uma única longa música separada entre os dois lados do LP, com um número de movimentos integrados e alguns temas repetidos. O quinteto deste álbum - Anderson, Barre, Evan, Hammond-Hammond e Barlow - foi a formação mais duradoura do Tull, permanecendo a mesma até 1975.
1972 também viu o lançamento de Living in the Past, um álbum duplo compilando os compactos, lados-B e sobras de estúdio da banda, com um dos lados sendo gravado ao vivo em 1970. Com exceção das faixas ao vivo, esse é considerado pela maioria dos fãs do Tull como o seu melhor lançamento. A faixa título foi um dos compactos de maior sucesso do grupo.
Em 1973 a banda tentou gravar um álbum duplo (exilada em Chateau d'Herouville para se livrar dos impostos, o mesmo que os Rolling Stones e Elton John, entre outros, estavam fazendo na época), mas, supostamente insatisfeitos com a qualidade do estúdio, abandonaram o projeto. Ao invés disso gravaram rapidamente e lançaram A Passion Play, outro álbum conceitual de uma só música, com letras bastante alegóricas. Depois de anos de popularidade crescente para a banda, A Passion Play vendeu relativamente bem mas acabou recebendo diversas críticas negativas. Até então Anderson tinha um relacionamento amigável com a imprensa de rock, mas este álbum acabou marcando um ponto de transição para o Tull. Sua unanimidade entre os críticos diminuiu, seguida pelo declínio de popularidade entre o público. War Child (1974), contudo, recebeu críticas favoráveis, e produziu o sucesso "Bungle in the Jungle". Também traz uma certa canção, "Only Solitaire", supostamente dirigida a um compositor que estava entre os mais árduos críticos de Anderson.
Em 1975 a banda lançou Minstrel in the Gallery, um álbum que lembrava Aqualung em seu trabalho bombástico encabeçado pela guitarra de Barre em contraste às peças acústicas mais leves. Depois desse álbum, Hammond-Hammond saiu da banda, sendo substituído por John Glascock.
Too Old to Rock And Roll, Too Young to Die!, de 1976, foi outro álbum conceitual, desta vez sobre a vida de um roqueiro de meia idade. Anderson, atormentado pelas críticas (particularmente as de A Passion Play), respondeu com mais versos afiados. A imprensa pareceu não perceber a alfinetada, e ao invés disso quis saber se o título do álbum era autobiográfico - uma acusação que Anderson negou veementemente.
Folk rock
A banda fechou a década com um trio de álbuns de folk rock, Songs from the Wood, Heavy Horses e Stormwatch. Songs from the Wood foi o primeiro álbum do Tull a receber críticas na maioria positivas desde a época de Benefit e Living in the Past.
A banda teve longos flertes com os roqueiros folk do Steeleye Span. Embora não formalmente considerada como parte do movimento folk-rock (que na verdade começou quase uma década antes com o advento do Fairport Convention), havia claramente várias trocas de idéias musicais entre o Tull e os roqueiros folk. Durante esta época, David Palmer, que havia feito alguns arranjos de cordas nos primeiros álbuns do Tull, entrou oficialmente para a banda, tocando principalmente teclado.
O baixista Glascock morreu em 1979 depois de uma cirurgia no coração, e Stormwatch teve de ser finalizado sem ele (Anderson foi o baixista em algumas das faixas). Ian decide então gravar seu primeiro disco solo.
Rock eletrônico
Por pressão da gravadora, Anderson lançou seu disco solo como um álbum do Tull em 1980. Intitulado A, apresentava Barre na guitarra, Dave Pegg no baixo e Mark Craney na bateria. Com uma pegada mais eletrônica, trazida pelo tecladista convidado Eddie Jobson, soava e parecia completamente diferente de tudo lançado pelo Tull até então.
Craney debandou após a turnê de A e o Tull entrou em um período de trocas frequentes de baterista (principalmente entre Gerry Conway e Doane Perry). Peter-John Vettese substituiu Jobson nos teclados e a banda retornou ao som folk - embora com sintetizadores - lançando The Broadsword and the Beast em 1982. 1981 marcou o primeiro ano na história do grupo em que eles não lançaram um álbum.
Em 1984 o Jethro Tull lançou Under Wraps, um álbum fortemente calcado no eletrônico. Embora a banda estivesse supostamente orgulhosa do som, o disco não foi bem recebido e como resultado disso (ou do problema de garganta adquirido por Anderson cantando as músicas de Under Wraps na turnê do disco, ou por ambos os motivos), o Tull entrou em um hiato de três anos durante os quais Ian começou uma bem sucedida carreira de criador de salmão.
A era moderna
Ao vivo em Nápoles, 1997.
O Tull voltou mais forte do que se poderia esperar com Crest of a Knave, em 1987. Com a ausência de Vettese (Anderson contribuiu com a programação dos sintetizadores) e se firmando mais na guitarra de Barre como não acontecia desde os anos 1970, o álbum acabou sendo um sucesso de crítica e de vendas. Eles ganhariam um Grammy em 1989 como melhor "Performance de Rock Pesado/Metal", derrotando os favoritos Metallica. O prêmio foi particularmente controverso pois muitos não consideram o Jethro Tull como uma banda de rock pesado, muito menos de heavy metal. O fato de este ser o primeiro Grammy dado ao rock pesado foi visto pelos fãs do estilo como um insulto (depois disso, e talvez por culpa disso, nos anos seguintes prêmios separados seriam entregues aos melhores do rock pesado e do heavy metal). Em resposta às críticas pelo prêmio, a banda supostamente pagou um anúncio em um periódico musical britânico com a frase "A flauta é um instrumento de metal pesado." O estilo de Crest foi comparado ao dos Dire Straits, em parte por Anderson, que parecia não mais ter o alcance vocal de antes.
Desde então a banda têm lançado uma variedade de álbum de estilo similiar à Crest, mas também incorporando mais influências folk. O mais notável é A Little Light Music, de 1992, um álbum em grande parte acústico que foi bem recebido pelos fãs devido à suas versões diferentes de muitas composições antigas.
Anderson lançou vários discos solo desde o começo dos anos 1980 e nos anos 1990 Barre também deu início a uma carreira solo. Anderson e Barre permaneceram como o centro da banda (Pegg finalmente saiu em 1995, sendo substituído por Jonathan Noyce). Em 1996 uma combinação,  de artistas de rock progressivo, lançaram um tributo ao Tull, To Cry You a Song, que incluía contribuições de diversos ex-integrantes da banda.
A banda entrou no século XXI e continua a lançar álbuns inéditos com o passar dos anos. Neste princípio dos anos 2000 a voz de Anderson parece estar retomando um pouco do seu antigo alcance.
Discografia
Álbuns de estúdio
This Was (1968)
Stand Up (1969)
Benefit (1970)
Aqualung (1971)
Thick as a Brick (1972)
A Passion Play (1973)
War Child (1974)
Minstrel in the Gallery (1975)
Too Old to Rock 'n' Roll: Too Young to Die! (1976)
Songs from the Wood (1977)
Heavy Horses (1978)
Stormwatch (1979)
A (1980)
Broadsword and the Beast (1982)
Under Wraps (1984)
A Classic Case (1985) (álbum orquestral cover)
Crest of a Knave (1987)
Rock Island (1989)
Catfish Rising (1991)
Roots to Branches (1995)
J-Tull Dot Com (1999)
The Jethro Tull Christmas Album (2003)
Coletâneas
Living in the Past (1972)
M.U. - The Best of Jethro Tull (1976)
Repeat - The Best of Jethro Tull - Vol II (1977)
Original Masters (1985)
20 Years of Jethro Tull (1988)
20 Years of Jethro Tull: Highlights (1988)
25th Anniversary boxed set (1993)
The Best of Jethro Tull (1993)
Nightcap (1993)
The Ultimate Set (1997)
Through the Years (1998)
Collection (1998)
The Very Best of Jethro Tull (2001)
The Essential Jethro Tull (2003)
The Best of Acoustic Jethro Tull (2007)
Ao vivo
Golders Green Hippodrome England (1977)
Bursting Out (1978)
Live at Hammersmith '84 (1990)
A Little Light Music (1992)
Living with the Past (2002)
Nothing Is Easy: Live at the Isle of Wight 1970 (2004)
Aqualung Live (2005)
Live at Montreux 2003 (2007)
Vídeos
Slipstream (1981)
20 Years of Jethro Tull (1988)
25th Anniversary Video (1994)
Living with the Past (2002)
A New Day Yesterday (2003)
Nothing Is Easy: Live at the Isle of Wight 1970 (2005)
Ian Anderson Plays the Orchestral Jethro Tull (2005)
Live at Montreux 2003 (2007)
Jethro Tull Box (2007)
Jack in the Green: Live in Germany 1970-1993 (2008)
Classic Artists : Jethro Tull - Their Fully Authorized Story (2009)
Live At Madison Square Garden 1978 (2009)
Ao vivo em Nápoles, 1998.
Integrantes
Formação atual
 Ian Anderson (1968-presente) (gaita, violão, guitarra, flauta, mandolin, vocais)
 Martin Barre (1969-presente) (guitarra, flauta)
 Doane Perry (1984-presente) (bateria)
 John O'Hara (2007-presente) (teclado)
 David Goodier (2007-presente) (baixo)
Outros
Bateristas
 Clive Bunker (1968-1971)
 Barriemore Barlow (1971-1980)
 Mark Craney (1980-1981)
 Phil Collins (1982) (no evento Prince's Trust Gala)
 Gerry Conway (1982, 1987)
 Paul Burgess (1982) (apenas na turnê)
 Dave Mattacks (1991-1992)
Baixistas
 Glenn Cornick (1968-1970)
 Jeffrey Hammond-Hammond (1970-1975)
 John Glascock (1975-1979)
 Tony Williams (1978) (substituto temporário de Glascock)
 Dave Pegg (1979-1995)
 Jonathan Noyce (1995-2007)
Tecladistas
 John Evan (1970-1980)
 David Palmer (1976-1980)
 Eddie Jobson (1980-1981)
 Peter-John Vetesse (1982-1985)
 Martin Allcock (1988-1992)
 Andrew Giddings (1991-2007)
Guitarristas
 Mick Abrahams (1968)
 Tony Iommi (1968) (apenas na apresentação dublada no Rolling Stones' Rock and Roll Circus)

sábado

The blues travelers


História

 Formação
A gênese do Blues Traveler,  foi em uma escola secundária, banda de garagem formada em Princeton, New Jersey, em meados dos anos 1980. Harmonicist, cantor e guitarrista John Popper e o baterista Brendan monte formou um grupo que chamaram de Criação (Blues Band rebatizado mais tarde) com o irmão de Hill no baixo e uma lista rotativa de guitarristas. A banda produziu algumas fitas cassete demos . Além de algumas canções originais, seu repertório incluiu upbeat capas de " Gloria "e" O Hino de Batalha da República ".
O grupo acrescentou o guitarrista e futebol jogador Chan Kinchla. Embora fosse um atleta promissor, Kinchla decidiu comprometer-se a tocar música, em vez depois de uma lesão no joelho. Popper conheceu o baixista Bobby Sheehan e os dois se tornaram bons amigos, com Sheehan se tornando o novo baixista para a Blues Band em 1987.
O quarteto realizou uma cave jam session (mais tarde batizado de The Jam Black Cat), que gerou o núcleo ranhuras para várias canções em seu primeiro álbum. Um gato preto passou a ser nas proximidades, e que o grupo tomou isso como um sinal e adotou o gato preto como seu mascote a figura.
O grupo mudou seu nome para Blues Traveler, tendo a última parte do nome do principal demônio no filme Ghostbusters , Gozer o Viajante.
                                             Primeiros anos
Depois de se formar Princeton High School, e se mudar para Nova York , Popper, Hill, e Sheehan inscritos no programa de música na The New School , enquanto Kinchla assistiu New York University . Blues Traveler começou a tocar ao longo da área de New York- clube de circuito, por vezes, à noite; o contrato mais importante foi jogar nas noites de quarta em um clube chamado a Wetlands .  Um outro bar, The Nightingale,
O grupo dividiu um apartamento em Bergen Street, em Brooklyn, NY, junto com seu amigo de escola, o cantor Chris Barron .  A banda de segundo que Popper e Hill fundou, chamado A Companhia de Transporte Rodoviário, logo se tornou o Spin Doctors com Barron como seu frontman. Os dois grupos, muitas vezes dividir o palco, tocando non-stop concertos de vários conjuntos. mostram seus primeiros juntos foi em uma festa de fraternidade Columbia University e seu segundo estava em um jamaicano -themed restaurante perto de Times Square em New York City. Durante este tempo, Blues Traveler adquiriu um devoto seguidor, Gina-Z (sujeito da canção da banda, "Gina"), que se tornou uma "mãe band" não-oficial e, posteriormente, gerente de uma turnê, e está envolvido com os negócios do grupo até os dias atuais .
Em um show em Nova York foram descobertos por um A & M Registros talent scout, Patrick Clifford , ea banda assinou seu primeiro contrato de gravação. Em 1990, todos os membros tinham desistido das aulas da faculdade. O grupo também atraiu a atenção de David Graham, filho do mundialmente famoso concerto promoter Bill Graham , e se tornou um dos muitos atos de Graham. Blues Traveler, em seguida, iniciou uma incansável agenda de shows, expandindo seu alcance para cima e para baixo na costa leste .
 Primeiro álbuns
Blues Traveler liberada seu auto-intitulado álbum de estréia em 1990, com a canção "Mas de qualquer maneira" ficar airplay em estações de rádio da faculdade. O álbum incluía Joan Osborne em backing vocals em duas faixas.
Um segundo álbum, Travelers and Thieves , seguido em 1991. Após a morte de Bill Graham naquele ano, eles lançaram um ao vivo EP , On Tour para sempre , como uma homenagem a Graham, que contou com lendário guitarrista Carlos Santana . O grupo estava se tornando bem conhecido na nova onda de bandas de jam que estava se desenvolvendo no início de 1990.
Por esta altura, o público mainstream nacional foi exposta a Blues Traveler pelo apresentador de TV David Letterman , que os apresentou como sua "banda  favorita". A banda desde então tem feito mais aparições em The Late Show do que qualquer artista musical. Banda de Letterman líder Paul Shaffer tem jogado em uma série de gravações de Blues Traveler.
Em 1992, o grupo fundou a HORDE festival como uma alternativa aos outros, como Lollapalooza , junto com outras bandas como Phish e Spin Doctors. Blues Traveler começou a gravar seu terceiro álbum, salvar a sua alma . Gravação foi temporariamente interrompido por John Popper motocicleta acidente, apesar de a banda retomou turnê logo em seguida com Popper em uma cadeira de rodas . Dois singles foram lançados do álbum, "Defense & Desire" e "Conquer Me", que alcançou a posição # 34 no Mainstream Rock Tracks chart.
 avanço Mainstream
O quarto álbum da banda, intitulado quatro , foi lançado no final de 1994. A pop optimista single " Run-Around "se tornou um grande sucesso e foi seguido pela" catchy Gancho ". "Run-Around" ganhou um Grammy Award e quebrou um recorde de mais semanas na parada.
Blues Traveler apareceu no Woodstock '94 e mais tarde tornou-se um ato de abertura para os Rolling Stones .
A banda tocou na estréia da temporada 1995 do Saturday Night Live como um substituto de última hora para o príncipe . Eles foram apresentados em um episódio da sitcom Roseanne , e mais tarde gravou o show da música-tema para sua temporada final. De 1996 filme de comédia Kingpin caracterizado o grupo tocando a música "Mas de qualquer maneira", durante os créditos finais.
O grupo gravou o Johnny Rivers música " Secret Agent Man "para o filme Ace Ventura: When Nature Calls e Bob Seger canção "Get Out of Denver" para o filme Coisas para fazer em Denver Quando Você Está Morto , bem como Fats Domino "s" Estou Walkin '"para Rodovia Rebel : Cool e do louco . Várias canções gravadas anteriormente viajante dos azuis foram incluídos em trilhas sonoras de filmes, incluindo O Poder da Sedução , Velocidade , Very Bad Things , Fardo do Homem Branco , e The Truth About Cats & Dogs . A banda também apareceu no filme Blues Brothers 2000 e em sua trilha sonora, tocando "Talvez eu esteja errado", uma composição original com um som blues-rock clássico.
Blues Traveler gravou o Sly & the Family Stone canção " I Wanna Take You Higher "para a NORML coletânea Hempilation eo John Lennon canção " Imagine que "para o Lennon tributo álbum Working Class Hero . O original música "Christmas" foi incluída no álbum benefício A Very Special Christmas 3 .
O álbum duplo ao vivo, Live from the Fall , foi lançado em 1996. É caracterizado a partir de gravações da banda Outono de 1995 concertos e mostrou a força das performances ao vivo da banda.
O próximo álbum de estúdio, Reto Na manhã até , foi lançado em 1997. Alcançou status de platina , atingindo número 11 na Billboard 200 álbuns gráfico, mas não executar, bem como quatro . O single "Carolina Blues" chegou ao número quatro no Mainstream Rock Tracks.
A banda fez uma aparição realizar em 1999 filme independente Wildflowers .
Até o final de 1998, a banda havia preparado um álbum conceitual chamado The Sun, The Storm e O Viajante , com base em fábula de Esopo de O Vento Norte e do Sol , e eles planejaram para gravá-lo depois de um recesso no outono de 1999. Naquele verão, John Popper tinha de emergência cirurgia cardíaca devido a artérias bloqueio, forçando a banda a cancelar suas contas anuais 04 de julho Red Rocks mostra no último minuto.
Durante o hiato, Popper lançou um álbum solo com uma banda de apoio composta por Dave Matthews Band baterista Carter Beauford e membros da Cycomotogoat grupo.

a morte de Sheehan e nova formação

Em 20 de agosto de 1999, Bobby Sheehan foi encontrado morto em sua New Orleans, Louisiana casa, onde tinha sido de gravação de música com alguns amigos na noite anterior. Morte de Sheehan foi governado acidental overdose de drogas , com a cocaína , diazepam , e de heroína encontrada em seu sistema.
Os restantes membros do Blues Traveler convocado e concordou que Sheehan teria queria que eles continuassem como uma banda. Audições para um novo baixista foram realizadas em conjunto, e incluiu Tad Chan Kinchla irmão mais novo, que foi unanimemente decidido a ser a melhor escolha para o papel. Além disso, um convite foi enviado para um tecladista permanente, uma função da qual Sheehan tinha sido muitas vezes um defensor. Ben Wilson da banda Big Dave e os Ultrasonics foi escolhido, e desde então se tornou um colaborador fundamental para composições da banda.
A banda descartado seu material álbum conceitual, em vez lançando um EP menores online, decisões da Sky: um viajante do conto do Sol e tempestade , e foi trabalhar coletivamente compor um novo conjunto de canções com a nova formação. O álbum resultante foi Ponte , que tinha o título de trabalho Ponte Brooklyn Outta como um tributo ao Sheehan (tanto com a sigla BOB e seu apelido de "Brooklyn Bobby"). As canções "Girl Inside My Head" e "Just for Me" recebeu airplay, mas as vendas do álbum caiu um pouco aquém das expectativas.
O álbum ao vivo que você e eu temos sido através da compilação e Travelogue: Blues Traveler Classics foram ambos lançados em 2002.
Os últimos anos
Blues Traveler foram uma das dezenas de artistas que foram descartadas como parte da reestruturação societária da A & M . A banda assinou com a Sanctuary Records para seu próximo álbum, Truth Be Told , que só alcançou o número 147 na tabela Top 200.
A banda de 2003 concertos do Dia da Independência no Red Rocks Amphitheatre foram lançados no CD Live on the Rocks eo DVD mais fina do Ar , e incluem Ziggy Marley cantando na canção de seu pai " No Woman, No Cry ".
A banda deixou Sanctuary para Vanguard Records e lançou ¡Bastardos! , que foi produzido por Wilco 's Jay Bennett e foi apontado como o retorno da banda a música que eles queriam jogar. O álbum alcançou o 49 sobre a Independent Albums , e um EP ao vivo de canções do álbum foi lançado para as lojas de discos independentes.
Em 19 de setembro de 2005, Blues Traveler fez seu cover de Beetlejuice canção 's " Este é Beetle "no Howard Stern show de rádio.
Em abril de 2006, a banda se apresentou o primeiro relatório anual "OH-Fest" concerto em Oneonta, Nova York.
Blues Traveler foram apresentados no VH1 's Behind the Music , A & E 's Private Sessions , e Austin City Limits . O grupo gravou a faixa-título para a Sandra Boynton crianças álbum Dog Train , que também foi usada como música promocional para o American Kennel Club 's Campeonato Nacional evento. A música da banda tem sido utilizado em jogos de vídeo ( NASCAR 2000 ) e comerciais ( Beer Busch ). As músicas "Business as Usual" e "Money Back Guarantee" são usadas como música de transição para a rádio pública financiar programa de mercado e sua irmã mostrar dinheiro de mercado .
O grupo gravou "Rag Mama Rag" para o álbum de 2007 tributo estrada sem fim: A música da banda , bem como " Free Bird "para Under the Influence: A Tribute Jam Band de Lynyrd Skynyrd .
Em 2007, Blues Traveler lançou o álbum cobrir-se , um "best-of" do álbum de canções lançadas anteriormente re-gravadas e reinterpretados com a instrumentação acústica. Ele foi lançado 30 de outubro de 2007 através da Columbia Records / Red Ink. Eles fizeram uma turnê nacional, com a abertura ato Lisa Bouchelle um escritor cantora / música baseada em Nova Jersey. Depois da turnê juntos John Popper e Lisa Bouchelle gravou a canção "Só Falar A Tequila", que foi lançado em seu álbum de quartos Bleu com um vaso vermelho em 2010.
Blues Traveler apareceu em 2008 Lollapalooza festival. Em suas junho 2008 shows, a banda estreou novas canções fora de seu novo álbum North Hollywood Shootout . O álbum, que conta com a participação do convidado por Bruce Willis , lançado em agosto de 2008.

 Concerto gravações

Blues Traveler permite e incentiva os fãs a gravar e comércio performances ao vivo, desde que nenhum dinheiro muda de mãos e nenhum lucro é feita. A banda também deu permissão para viver fan-made gravações para ser hospedado em sites como o Arquivo de Música ao vivo e eTree.org. Gravações disponíveis não vão desde 1986 até os dias atuais.
Em mais turnês recentes, eles vendem gravações de desempenho naquela mesma noite do. Os participantes podem pré-compra uma cópia do programa até 30 minutos para o desempenho e, em seguida, pegar o CD depois do show.
Dia da Independência shows no Red Rocks
Todos os anos desde 1994, com a exceção de 1999, intitulado Blues Traveler tem um show no Anfiteatro Red Rocks , em Morrison, Colorado sobre o Dia da Independência Americana , 4 de julho. A banda geralmente toca duas noites consecutivas, a partir de 03 de julho.
Essa tradição começou em 1992, quando Blues Traveler foi abrindo para o The Allman Brothers Band no local por duas noites, 03 de julho e 4. No ano seguinte, a banda reservou o festival HORDE para jogar lá no Dia da Independência, e em 1994 a tradição atual começou em sério.
Estes shows atraem fãs de todo os Estados Unidos. A banda frequentemente estreia novas canções e traz de volta músicas antigas, caído fora de rotação.
O Dia da Independência 2003 concertos foram gravados para um vídeo caseiro e lançamento do álbum ao vivo.





















sexta-feira

The Allman Brothers Band

The Allman Brothers Band é uma banda de Southern rock,  formada em Macon, Geórgia, nos Estados Unidos da América, chamada pelo Hall da Fama do Rock and Roll como os principais arquitetos do rock sulista estadunidense.
A banda foi formada em 26 de março de 1969 na Jacksonville, Flórida com Duane Allman(eleito pela revista Rolling Stones em 2003, como o segundo melhor guitarrista de todos os tempos), Gregg Allman, Dickey Betts, Berry Oakley. Butch Trucks e Jai Johanny  "Jaimoe"  Johanson.Formado originalmente em 1969, foram descritas dois anos depois por George Kimball, jornalista da revista Rolling Stone, como o "a melhor banda de rock and roll que este país produziu nos últimos cinco anos". Reconhecida por sua capacidade de improvisação impressionante, cujo melhor exemplo se encontra no álbum At Fillmore East, a banda foi premiada com onze discos de ouro e cinco de prata entre 1971-2005. Infelizmente, em 1971, Duanne faleceu em um acidente de motocicleta. A revista Rolling Stone listou o The Allman Brothers como um dos 100 Maiores Artistas de Todos os Tempos em 2004, e foi a banda mais representada na lista de melhores guitarristas feita pela mesma revista. A banda continua a gravar e realizar turnês até hoje.













DISCOGRAFIA

The Allman Brothers Band (1969)
Idlewild South (1970)
At Fillmore East (1971)
Eat a Peach (1972)
Brothers and Sisters (1973)
Win, Lose or Draw (1975)
Enlightened Rogues (1979)
Reach for the Sky (1980)
Brothers of the Road (1981)
Seven Turns (1990)
Shades of Two Worlds (1991)
Where It All Begins (1994)
Hittin' the Note (2003)
































KANSAS

Banda de rock norte-americana dos anos 1970 especializada no estilo progressivo. Dave Hope (baixo), Phil Ehart (bateria), Robby Steinhardt (violino), Steve Walsh (teclado e vocal) e Rich Williams (guitarra) formaram a banda White Clover em sua cidade natal de Topeka, Kansas. Depois da entrada de Kerry Livgren (teclado e guitarra) o nome da banda foi mudado para Kansas.
Formado inicialmente por Steve Walsh (Teclados e vocal), Robby Steinhardt(Violino), Kerry Livgren (Guitarras), Billy Greer (Baixo) e Phil Ehart (bateria) eles gravaram grandes álbuns nos anos 1970. O primeiro chama- se Kansas apenas e foi o trampolim para o êxito dos que viriam depois: "Song for América", "Masque", "Point of Know return"e "Leftoverture", esses dois últimos ganharam vários prêmios. A banda se destacou ao emplacar clássicos do rock progressivo como "Carry on Wayward Son", hoje, sucesso na abertura do seriado norte-americano Supernatural, "Song for America" e "The Wall"... desta  época também surgiu o maior sucesso do Kansas, a balada "Dust in the Wind".

História
Como o sucesso traz junto a discórdia, os integrantes começaram a se desentender no que resultou na saída de Robby Steinhardt e Kerry Livgren.
Os anos 1980 entraram e a banda manteve o pique, os álbuns "Audio Visions" e "Vinyl Confessions" demonstram isto, com a participação do produtor John Elefante como integrante oficial, a banda emplacou os hits "Play the game tonight" e "Fight fire with fire" ("Drastic Measures" álbum).Apesar de não seguirem mais a linha progressiva dos álbuns anteriores a banda manteve sua popularidade intacta.
Um novo período de mudanças surge na banda, segue-se uma coletânea e em 86 eles lançam novo trabalho na praça, trata-se de "Power". Um álbum totalmente voltado para o Hard Rock, inluência de Steve Morse que estreiava na guitarra.
O álbum traz um resultado satisfatório, colocando o Kansas  de igual para igual com as bandas de hard da época. Este disco contém excelentes canções como é o caso de "Silhouettes in disguise", "All I Wanted" e "Three Pretenders"...
Seguem com mais um álbum de estúdio : "The spirits of Things", onde se destaca a canção "The Preacher". Vale apena frisar que desde algum tempo, Steve Walsh estava apenas como frontman ao vivo... mas apesar de muitas mudanças, o Kansas já começava a cair, álbuns ao vivo e Box sets foram lançados para tentar "Equilibrar as finanças". A banda permaneceu um tempo longe da mídia, mas retornou com força total em 1995 com o álbum "Freaks of Nature", Este disco mostrou um outro lado mais pesado da banda, que contava com mais um violinista : David Ragsdale.
O álbum é potente e preciso, as grandes músicas são "Desperate Times""Hope once again" (Grande balada) e "Black phatom 4"...

Depois veio o disco "Always Never the Same" junto de "The London Shymphony Orchestra", o que não causou impacto. Após o lançamento de vários caça níqueis (Remasterizacões, ao vivo, Coletâneas) a formação original se junta novamente e grava "Somewhere to Elsewhere", onde mostram o porque de o Kansas ser tão conceituada em termos de rock progressivo.
1970-1974: o início e mudanças na formação
Dave Hope (baixo), Phil Ehart (bateria) e Kerry Livgren (guitarra e posteriormente teclado) formaram o Kansas em1970 em sua cidade natal Topeka, junto com o vocalista Lynn Meredith, o tecladistaDon Montre, o tecladista Dan Wright e o saxofonista Larry Baker. Essa formação durou até 1971, quando Ehart deixou a banda para morar naInglaterra, sendo substituído por Zeke Lowe e posteriormente Brad Schulz. Hope foi substituído por Rod Mikinski, e Baker foi substituído por John Bolton, que além de saxofonista era flautista.
Nesse meio tempo Ehart e Hope montam a banda White Clover com Robby Steinhardt (violino e vocal), Steve Walsh(teclado e vocal) e Rich Williams (guitarra). Eles mudaram seu nome para Kansas quando recrutaram Livgren do outro grupo Kansas, que havia terminado.
1974-1979: sucesso gradual
O primeiro álbum Kansas foi lançado em 1974, e mostrou um misto de guitarra, teclados, vocais e violinos em estiloboogie-rock, dotado de arranjos complexos e mudanças de tempo. Durante meados da década de 70 eles se desenvolveram como uma das maiores bandas da época para se assistir ao vivo, um espetáculo que lotava grandes arenas e salas de concerto.
Com o sucesso do hit Carry On Wayward Son, o quarto álbum da banda Leftoverture (1976) teve bastante sucesso comercial. O álbum seguinte, Point of Know Return (1977), continha a faixa Dust in the Wind, que se tornou sucesso ainda maior que o álbum anterior. Ambos os álbuns venderam mais de quatro milhões de cópias nos Estados Unidos, e possuem os maiores hits da banda. O álbum de 1979 Monolith, que continha letras influenciadas pelo Livro de Urântia, foi menos popular, apesar de incluir o hit People of the South Wind.
1980-1983: tensões e direções controversas
O Kansas começou a morrer no início dos anos 80. Kerry Livgren se converteu ao cristianismo, o que refletiu-se em suas letras nos próximos três álbuns, começando por Audio-Visions. Dave Hope acabou se convertendo ao cristianismo da mesma maneira, e Walsh considerou que a banda estava se movendo para outra direção. Como resultado ele deixou a banda para formar o Streets, sendo substituído pelo vocalista John Elefante, também convertido ao cristianismo, e que, juntamente com seu irmão Dino, se tornou conhecido posteriormente por produzir álbuns para as bandas de rock cristão Petra e Shout.
O primeiro álbum do Kansas com Elefante foi Vinyl Confessions, lançado em 1982, e foi seu álbum mais bem-sucedido desde Point of Know Return. As letras cristãs do álbum atraíram um novo público de evangélicos à banda.
Em 1983 o Kansas se reuniu para gravar novo álbum, mas as mudanças na banda de Audio-Vision estava ressurgindo. Robby Steinhardt não compareceu para gravar o álbum. Kerry Livgren estava segurando seus melhores materiais para a gravação de um segundo álbum solo. O álbum Drastic Measures acabou sendo escrito em sua maioria pelos irmãos Elefante, com somente três faixas por Livgren. As mudanças na direção musical da banda se assemelhavam ao som de bandas dos anos 1980 como Loverboy e Foreigner. Livgren sentia pressão da indústria musical para produzir materiais mais comerciais, o que ironicamente levou ao fracasso comercial, enquanto seus sucessos antigos não tinham a intenção de se tornarem hits.
Durante os anos de Elefante no Kansas, Livgren e Hope se sentiam mais distantes dos outros membros da banda, e Livgren se sentia desconfortado com o Kansas representando somente sua visão cristã. Após uma apresentação em31 de dezembro de 1983, Livgren e Hope deixaram a bada para formar o AD, com o ex-membro do BloodrockWarren Ham (que já havia participado em turnê com o Kansas em 1982) e Michael Gleason (que já havia participado em turnê com o Kansas em 1983). O baterista Dennis Holt também se juntou à nova banda. Elefante, Ehart e Williams continuaram seu trabalho na banda, como demonstrado pela música nova adicionado no álbum de compilações The Best of Kansas (1984), mas Elefante deixou a banda logo depois.
Em 1986 a banda voltou às atividades, lançando o álbum Power, junto com o baixista Billy Greer (com quem Walsh já havia trabalhado no Streets), o guitarrista Steve Morse. Para espanto, essa formação não incluia um violinista (apesar de Morse fazer esse papel na execução de Dust in the Wind em apresentações). All I Wanted se tornou o último single do Kansas a chegar as 20 primeiras posições nas paradas. Em 1998 foi lançado o segundo álbum com a mesma formação, In the Spirit of Things, o favorito entre diversos membros da banda mas um fracasso comercial. No final da turnê do mesmo álbum Morse deixou a banda.
1986-atualmente: reformulação
Em 1990, um promotor musical alemão reuniu os membros originais da banda, com exceção de Steinhardt, para uma turnê pela Europa. Green se reuniu com a banda, junto como tecladista Greg Robert, que já participava das turnês da banda desde a época de Morse. No final da turnê Hope deixou novamente a banda. Livgren acabou se mantendo até a turnê de 1991, sendo substituído até o final da turnê novamente por Steve Morse. Essa turnê também contava com a presença de David Ragsdale no violino. Essa formação (Ehart, Greer, Ragsdale, Robert, Walsh e Williams) se manteve até 1997. Nesse período foi lançado um álbum ao vivo, Live at the Whiskey (1992), e o álbum Freaks of the Nature, um retorno ao período clássico da banda, mas sem sucesso.
Em 1997 Robert e Ragsdale deixaram a banda, e Robby Steinhardt retornou. Eles gravaram Always Never the Same, com a presença da "London Symphony Orchestra". As turnês continuaram nos anos seguintes, mas a banda não conseguiu antigir novamente a grande popularidade e noticiário de outrora.
Em 2002, a formação do Kansas anterior ao primeiro álbum lançou o álbum de demos e gravações ao vivo de1971-1973. Por questões legais e por não quererem usar o nome da formação de sucesso para promover o novo material, decidiram usar o nome Proto-Kaw. O grupo acabou lançando outro álbum em 2004, Before Became After, e um terceiro em 2006, The Wait of Glory.

Membros atuais
Steve Walsh - vocal e teclado
Rich Williams - guitarra
Phillip Ehart - bateria
David Ragsdale - violino (1991-1997, desde 2006)
Billy Greer - baixo (desde 1985)

Membros antigos
Robby Steinhardt - violino
Dave Hope - baixo
John Elefante - vocal e teclado (1981-1984)
Steve Morse - guitarra (1985-1989)
Greg Robert - teclado (1987-1997)
Van Romaine - bateria (1983)
Kerry Livgren - teclado e guitarra
Álbuns de estúdio
1974 - Kansas
1974 - Song for America
1975 - Masque
1976 - Leftoverture
1977 - Point of Know Return
1979 - Monolith
1980 - Audio-Visions
1982 - Vinyl Confessions
1983 - Drastic Measures
1986 - Power
1988 - In the Spirit of Things
1995 - Freaks of Nature
1998 - Always Never the Same
2000 - Somewhere to Elsewhere

Álbuns ao vivo
1978 - Two for the Show
1992 - Live at the Whisky
1998 - King Biscuit Flower Hour Presents Kansas
2002 - Device, Voice, Drum
2003 - From The Front Row...Live!
2009 - There's Know Place Like Home

Compilações
1984 - The Best of Kansas